Filipa Veiga

Namaste.
Om Swasti Astu.

A chegada ao yoga combina com a minha vida nómada.
Nasci em Portugal e, em 1980, aos quatro anos, a minha família mudou-se para Macau. Cresci a viajar, a descobrir o mundo e diferentes culturas. Aprendi a chamar casa a mais do que um lugar.

Nascer numa família tradicional portuguesa permitiu-me ter valores profundos, mas não os de criar uma rotina espiritual. Macau ofereceu-me a semente para esta energia. Rodeada de incensos, de templos budistas, igrejas católicas, padres jesuítas, fengshui. Um presente para a vida que me tornou tolerante à diferença e a apreciá-la.

Dancei clássico, jazz e contemporâneo grande parte da minha vida. Um dia senti mais: quis aprender yoga. Foi uma voz interior bem clara. Em 2004, depois de algumas experiências que hoje me fazem rir, encontrei o Ashtanga Yoga. Foi amor à primeira prática e esta tornar-se-ia a minha ferramenta para transformar a minha vida, fortalecer o meu corpo e purificar a mente. Fazer de mim um novo ser.

Depois de estudar Direito na Universidade de Lisboa, trabalhei durante mais de 12 anos como repórter na SIC e como escritora para a Máxima. Em 2012, regressamos a Ásia. Fomos viver para Ubud, a meca espiritual do yoga e mergulhei na espiritualidade latente que trazia desde criança. Foram 4 anos na Indonésia de muito crescimento e limpeza interior. Sinto uma enorme gratidão por este acordar espiritual na floresta verde de Ubud. 

Quando regressei à Europa em 2016 continuei o meu trajeto. O blog Yoga-me tornou-se livro, o estilo de vida tornou-se a própria vida e a prática tornou-se o meu caminho. 

Om Shanti.

A minha Visão & Filosofia

Visualizo um planeta em que a humanidade viva em harmonia, paz e amor. Encontramo-nos num momento de crescimento, de entrada num novo mundo, dizem numa nova consciência planetária. Mais do que nunca estas ferramentas de paz interior, resiliência que fortalecem o sistema imunitário são primordiais. 

Manter um equilíbrio interior através das ferramentas e medicinas à nossa disposição como o yoga, a meditação, uma boa alimentação, um estilo de vida alinhado. Tempo para uma vida dharmica. De criar um espaço sagrado e ritualizar a vida. Dedicar tempo ao sadhana, à prática espiritual. E mais surpresas a caminho. Mantém-te conectada. 

O resultado é uma mente equilibrada,
uma vida simples, mais plena de significado.
Sermos a mudança que desejamos ver.

Abrir o coração

O desbloqueio das tensões emocionais, confere a cada um de nós uma compreensão clara das nossas forças e fraquezas interiores, e abre lugar à voz interior para falar. Neste processo e juntos enquanto humanidade vamos elevar e construir a transformação necessária de abrir o coração. E venerar, agradecer, retribuir a Bhumi Devi, a mãe natureza.

Om Shanti. 

Om Devi. 

A minha Visão & Filosofia