Filipa Veiga

Os poderes de cura da terra

A primavera chegou e está resplandecente! Calor, sol, flores silvestres a embelezar os campos, as árvores com aquele verde de início de época, as abelhas com uma actividade incrível – há dias até fui picada no meio da azafama de uma abelha perdida! A primavera é uma das minhas épocas favoritas do ano e também aqui na nossa Yoga Devi – Escola de Yoga e Ayurveda porque não só temos mais oportunidades de estar ao ar livre, mas também porque começamos as actividades no campo. Este ano tenho estado a limpar o meu terreno em Zebro, uma terreno que espero um dia pode receber-vos para praticar yoga, aprender a cultivar, e receber tratamentos de Ayurveda!

A Ayurveda entende que não há separação entre nós e a natureza. Nós somos natureza como tantas vezes tenho repetido. Está tudo infinitamente conectado, e o ano que passou foi (e continua a ser) uma lembrança não tão subtil e até bastante evidente do que estou a escrever.
Mas a nossa sociedade «moderna» tende a não mostrar conexão com a natureza. Como se nos tivessem habituado a viver no nosso conforto e olhar para a grande Mãe apenas como fonte de exploração sem sequer prestarmos agradecimento. Um facto é que sem Bhumi Devi não temos sequer chão para a nossa vida.

Por isso a Ayurveda encoraja-nos a constantemente mergulhar na natureza como uma das formas mais fáceis e divertidas de também cuidar do corpo e da saúde. Aterrar fisicamente, colocar as nossas mãos na terra, permanecer entre as árvores, absorver a luz do sol, cultivar alimentos frescos e cheios de energia vital, tudo formas através das quais podemos apoiar o nosso bem-estar físico e emocional. Mexer na terra é, segundo a Ayurveda, uma prática espiritual, que nos conecta diretamente ao Divino. Vamos começar?

Uma das maneiras mais benéficas de se reconectar com a terra é a jardinagem. Isso pode ser feito nas cidades também, com varandas e pequenos recantos! Não precisa morar num lugar com muita terra para se conectar com a natureza. Cultivar as próprias ervas aromáticas e alimentos é muito gratificante e benéfico para nossa saúde geral. Colocar as mãos em solo fresco, esperar pacientemente que as sementes brotem, nutrir as plantas e, em seguida, usar o que cultivou é uma terapia incomparável.

Há uma razão científica pela qual tendemos a nos sentir centrados e mais felizes depois de passar um tempo no jardim. Os investigadores descobriram que a micobactéria encontrada no solo pode melhorar as funções cerebrais, bem como melhorar o humor. O Mycobacterium vaccae encontrado no solo aumenta a produção de serotonina no cérebro. Então colocar as mãos na terra pode literalmente fazê-la sentir-se mais feliz.

A luz do sol também ajuda a aumentar os níveis de serotonina. A luz solar atua como um download informativo, abre as retinas que desencadeiam a libertação de serotonina, ao mesmo tempo que fornece uma dose saudável de vitamina D. As culturas antigas já tinham compreendido os benefícios da luz solar para o humor e saúde, em especial a luz da manhã (hello, saudações ao sol! quantas vezes já não disse que nos mudam a vida) e o pôr do sol!

A Ayurveda diz que a melhor maneira de aumentar ojas é aumentar o prana. Os alimentos que nós mesmos cultivamos, ou os produtos locais da estação, têm mais prana, ou seja, mais energia vital. Esses alimentos são abundantes em prana porque atraem as energias do sol, da terra e da água enquanto crescem. Quando são colhidos, o prana começa a dissipar-se. É por isso que quanto mais fresco o alimento, melhor o sabor! Produtos frescos e ervas estão cheios de prana. Mercados agrícolas e cooperativas locais são ótimas opções alternativas, se não tiver espaço ou tempo para cultivá-los sozinho.

Outra razão para cuidar de nossa Bhumi Devi, a grande Mãe Divina, a primeira mãe que todos nós temos é pela importância em reduzir a nossa pegada de carbono, e cultivar alimentos é uma ótima maneira de o fazer. Tirar um tempo para nutrir a Terra e devolver ao solo é um gesto que permite que ela continue a nos nutrir com seus dons sempre mágicos. É aqui que reside a prática espiritual. Conexão profunda com o Divino.
A Ayurveda vê a gratidão como parte do processo digestivo. Esperar que as sementes rebentem, que as plantas cresçam e amadureçam e, em seguida, colher, é parte de um grande sentido de realização e gratidão. Os alimentos têm um sabor mais delicioso quando trabalhamos para eles e agradecemos a Mãe Terra pela abundância.

Muitos de nós não tem espaço, tempo ou habilidades para cultivar os nossos alimentos. Tudo bem! Mas pode começar pequeno, uma planta de cada vez.
Qual é a erva que usa com mais frequência? Ou aquela que acha que tem o melhor sabor? A salsa é fácil de cultivar e de baixa manutenção, um bom começo. A lavanda adora negligência e solo fraco, então se não tem um bom dedo verde, ela é ótima. Tulsi também é muito tolerante e se desenvolve facilmente em temperaturas quentes. Pesquise o que cresce facilmente na sua área e comece por aí. Envolva seus filhos ou família. As crianças adoram ver as plantas crescer e podem até ser mais propensas a comer vegetais se elas os cultivarem.

Colocar as mãos na terra e cultivar plantas é terapêutico, meditativo, ótimo exercício, aumenta os níveis de serotonina, traz benefícios para a saúde e retribui à natureza que tanto nos dá. Cultivar os nossos alimentos e ervas permite que nos conectemos profundamente com a natureza e nos liga de maneira tão doce. Então vá lá, mergulhe as mãos na terra, conecte-se diretamente com o Divino, tudo isso enquanto nutre seu bem-estar geral. Divirta-se!